login   ajuda
Usurio
   
Documento sem título

 

Conceitos Utilizados


Para elaboração dos PLANOS DE TRABALHO DOCENTE DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO serão adotadas as seguintes definições ou conceitos, compilados de documentos e encontros produzidos pelo MEC e Centro Paula Souza:

PLANO DE CURSO – documento que fundamenta e organiza o funcionamento dos cursos; nele constam: justificativa, objetivos, perfil profissional de conclusão, organização curricular, critérios de avaliação, competências, habilidades e bases tecnológicas de cada componente curricular e outras informações.

Os Planos de Curso são elaborados pela equipe do Laboratório de Currículo do Centro Paula Souza de acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional.

EIXO TECNOLÓGICO – linha central de estruturação de um curso, definida por uma matriz tecnológica, que dá direção para o seu projeto pedagógico e que perpassa transversamente a organização curricular do curso, dando-lhe identidade e sustentáculo. O eixo tecnológico curricular orienta a definição dos componentes essenciais e complementares do currículo, expressa a trajetória do itinerário formativo, direciona a ação educativa e estabelece as exigências pedagógicas.

PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO – relaciona as atribuições e atividades a serem desenvolvidas pelo concluinte do curso.

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR – documento que estabelece os módulos a serem desenvolvidos em 20 semanas letivas, que correspondem a um semestre, bem como os componentes curriculares e respectivos número de horas de efetivo trabalho escolar em aulas teóricas e práticas.

COMPETÊNCIA - (ensino médio) - Competências são modalidades estruturais da inteligência, ou melhor, ações ou operações que utilizamos para estabelecer relações com ou entre objetos, situações fenômenos e pessoas que desejamos conhecer.

COMPETÊNCIA PROFISSIONAL - é capacidade de mobilizar, articular e colocar em ação conhecimentos, habilidades e valores necessários para o desempenho eficiente e eficaz das atividades requeridas pela natureza do trabalho.
Justifica-se pela atual configuração do trabalho que passa a exigir do cidadão-trabalhador o desenvolvimento de competências profissionais que lhe permitam enfrentar e responder aos desafios profissionais esperados e inesperados, previsíveis e imprevisíveis, rotineiros ou inusitados, com criatividade, autonomia, ética e efetividade.
(art 6º da Resolução CNE/CEB nº 4/99 e item 6.3 do Parecer CNE/CEB nº 16/99)

COMPETÊNCIAS-CHAVE

Analisar: interpretar, contextualizar, descrever, desenvolver conexões, estabelecer relações, confrontar, refletir, discernir, distinguir, detectar, apreciar, entender, compreender, associar, reconhecer, articular conhecimento, comparar, situar.

Analisar/Pesquisar: identificar, procurar, investigar, selecionar, distinguir, escolher, obter informações, recuperar, recorrer.

Analisar/Projetar: formular hipóteses, propor soluções, conceber, desenvolver modelo, elaborar estratégias, construir situações-problemas.

Analisar/Executar: utilizar, exprimir-se, produzir, usar, representar, realizar, traduzir, expressar, experimentar, acionar, agir, apresentar, selecionar, aplicar, usar, sistematizar, equacionar, elaborar, classificar, organizar, relacionar, quantificar, transcrever, validar, construir, colocar-se.

Analisar/Avaliar: criticar, diagnosticar, emitir juízo de valor, discriminar.

HABILIDADES - (ensino médio) - são especificações das competências estruturais em contextos específicos, decorrem das competências adquiridas e referem-se ao plano imediato do “saber fazer”. Por meio de ações e operações, as habilidades aperfeiçoam-se e articulam-se, possibilitando nova reorganização das competências”.
José Vit INEP.

HABILIDADE - saber fazer bem alguma atividade, de acordo com as necessidades ou solicitações de um contexto; ter facilidade, aptidão ou talento para executar determinada tarefa ou produção de objeto.

HABILIDADE PROFISSIONAL - capacidade de agir prontamente, mentalmente e por intermédio dos sentidos, com o uso ou não de equipamentos, de máquinas de ferramentas ou qualquer instrumento.
Trata-se do aspecto prático das competências profissionais, relativos ao “saber fazer” determinada operação. As habilidades permitem que as competências sejam colocadas em ação, em realizações eficientes e eficazes.
Saberes apropriados que geram um saber-fazer que não é produto de uma instrução mecanicista, mas de uma construção mental que pode incorporar novos saberes.
Verbos cuja ação é associada ao uso sistemático de equipamentos, máquinas, de ferramentas, de instrumentos e até diretamente dos próprios sentidos: aplicar, apresentar, calcular, citar, classificar, coletar, comparar, compilar, conferir, cortar, cumprir, descrever, documentar, efetuar, executar, fazer, justificar, identificar, indicar, instalar, interpretar, listar, medir, nomear, operar, organizar, quantificar, realizar, registrar, relacionar, seriar, usar, utilizar, verificar e outros.

BASES TECNOLÓGICAS - conjunto sistematizado de conceitos, princípios e processos tecnológicos resultantes, em geral, da aplicação de conhecimentos científicos a essa área produtiva e que dão suporte às competências e habilidades.
Substantivos que representam as bases tecnológicas fundamentais: conceitos, definições, fundamentos, legislação, noções, normas, princípios e procedimentos.

PROCEDIMENTO DIDÁTICO – prática pedagógica adotada pelo professor para conduzir a aprendizagem de determinado tema e o desenvolvimento de competências e habilidades, tais como: aula dialógica, aula expositiva, aula operatória, debate, exibição de mídia, estudo de texto, exercício em sala, exercício físico, jornal, palestra, pesquisa, portfólio, seminário, teatro, trabalho em grupo, uso de mídia, visita e outros.

AVALIAÇÃO – é uma ação pedagógica a serviço da aprendizagem, que apresenta função diagnóstica, no inicio ou durante o processo de aprendizagem, para diagnosticar competências previas e adquiridas, dificuldades e rendimento dos alunos; função de controle, durante o processo, para orientar o aluno a superar dificuldades de aprendizagem e subsidiar a reorganização do trabalho docente; função de classificação, ao final do período escolar, para subsidiar as decisões do Conselho de Classe na promoção, retenção ou reclassificação de alunos.
A avaliação proposta para cada competência deverá ser coerente às diferentes competências e habilidades para revelar ao professor a eficiência esperada do aluno.

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO – meio selecionado pelo professor para verificar o desempenho do aluno em termos de conhecimentos, habilidades e atitudes, direcionadas estas ao desenvolvimento das competências previstas. São instrumentos de avaliação: apresentação oral, autoavaliação, atividade extraclasse, atividade prática, debate, desenvolvimento de atividade, esquema, exercícios em sala, mapa conceitual, observação do professor, produção de objeto/maquete, produção de texto, projeto, prova escrita, relatório, seminário, trabalho em equipe.

compilado por Olímpia Carvalho de Moura Leite - Etec Prefeito José Esteves

 

Etec Prefeito José Esteves